Morre Valdir Bonfanti, o cabeleireiro Barão

Conhecido por toda a comunidade caçadorense e com grande história no ramo, ele é mais uma vítima da Covid-19

Faleceu nesta segunda-feira (5) em Caçador, aos 66 anos, Valdir Antônio Dalastra Bonfanti, o cabeleireiro Barão, vítima de complicações ocasionadas pela Covid-19. Ele estava internado no Hospital Maicé. Em 2020 o cabeleireiro concedeu entrevista ao Jornal ExtraSC, a qual reproduzimos agora alguns trechos, para que todos possam recordar um pouco de sua trajetória, encerrada precocemente por esta doença que assola o mundo.
Após realizar um curso no Rio de Janeiro, Barão trabalhou em Curitiba, Blumenau e Porto Alegre para se profissionalizar. Mas em 1979, após quatro anos, voltou para Caçador, e no dia 29 de junho do mesmo ano, nasceu o “Barão Cabelereiros”, na Av. Barão do Rio Branco.

No início, Barão atendia apenas mulheres, sendo o primeiro homem de Caçador a atender esse público. “Mas, com o tempo fui me especializando e atendendo o público masculino também. E atualmente, 80% dos meus clientes são homens e 20% são mulheres. Deu uma reviravolta”, disse na época.
O estabelecimento Barão Cabeleireiro passou por três localidades. O primeiro lugar foi no clube Apolo, depois na rua Carlos Esperança, no Edifício Silvio Santi e após quatro anos, em 1984 se mudou para sala na Av. Santa Catarina, quase em frente a Prefeitura de Caçador.
Barão afirmou na entrevista que 95% dos clientes eram fixos, mas que também todos os dias atendia um cliente novo. No currículo, eram mais de 80 cursos nacionais e internacionais, além de congressos focados nesse ramo.

Sempre muito bem informado e acompanhando as notícias do dia a dia, o salão era um local de muitas conversas, e Barão acompanhou o crescimento de Caçador, do qual ele mesmo comentou na entrevista em 2020, e ainda fez questão de agradecer aos clientes que lhe acompanharam todos estes anos.
“Quando comecei a trabalhar em Caçador, a AV. Barão do Rio Branco era calçamento. Não existiam muitos prédios, os que tinham eram no máximo três andares. Eu moro no Berger e quando construí a minha casa tinha apenas duas casas como vizinhas e atualmente não tem um lote vago. Acredito que grande parte desse crescimento é de responsabilidade dos nossos empresários, que ajudaram no crescimento do nosso município. Nossa atual e antigas administrações estão parabéns, pois sempre contribuíram para o desenvolvimento do município. Agradeço especialmente por Caçador me conceder a oportunidade de fazer o meu nome, onde eu consegui criar os meus três filhos. E aos meus clientes quero agradecer imensamente”, disse Barão em sua entrevista.
O cabeleireiro caçadorense deixa esposa e três filhos.

1 COMENTÁRIO(S)

  1. Valdir Bonfanti, homem gentil e trato agradável. Era muito bom conversar com ele quando lá ia cortar os meus poucos cabelos. A minha próxima visita ao "Barão" seria nas novas instalações em sua casa. Não deu tempo. Deixa saudades, mas a energia do respeito e amizade continua nos ligando pela eternidade. Que você esteja sempre bem na continuidade de sua jornada, meu barbeiro e amigo Valdir.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caminhão é flagrado carregando toras de pinheiro ilegal em Lebon Régis
Gibiteca abre inscrições para Oficina de Desenhos na próxima segunda-feira, 19
Núcleo de RH da ACIC promove live sobre saúde mental neste sábado
Nova lei de trânsito entra em vigor na segunda (12); veja o que muda
Feira do Produtor Rural reaberta na Beira Rio
Empresa de Caçador é multada em mais de R$ 10 mil por crime ambiental
Gafanhotos gigantes intrigam moradores de Água Doce e região
Marido da vice-prefeita de Lebon Régis morre vítima da Covid-19
BRK Ambiental vai instalar novos equipamentos no bairro dos Municípios
Iniciada entrega de madeiras derrubadas na Taquara Verde durante Ciclone Bomba