Delegado alerta sobre incidência do Golpe do depósito ou transferência bancária

Casos continuam acontecendo em Caçador pela clonagem do número de celulares e recados via whatsapp pedindo dinheiro emprestado



Mais uma tentativa de golpe começou a aparecer na tela do telefone celular de alguns caçadorenses nesta semana que passou, novamente com a clonagem de números. Via whatsapp, os criminosos estão entrando em contato com pessoas aleatórias que aparecem na lista do telefone clonado, e se passando pelo proprietário do número, pedindo depósitos e transferências via pix.

Os argumentos utilizados pela suposta quadrilha são os mesmos de sempre. Em algumas oportunidades dizem que estão tentando fazer uma transferência mas não estão conseguindo, e então pedem dinheiro emprestado para a vítima, passando um número de conta e dizendo que no outro dia já irá ressarcir. Outra modalidade é dizer que está precisando de dinheiro para um pagamento de emergência e que no outro dia também devolverá a quantia.



Por sorte, as pessoas que tiveram os celulares clonados são bem conhecidas das pessoas que passaram pela abordagem dos bandidos, e perceberam se tratar de um golpe. No entanto, por meio de conversas com algumas das vítimas, sabe-se que cidadãos caçadorenses caíram no golpe.

Em entrevista ao Jornal ExtraSC, o delegado de Polícia Civil, Adriano Delfino, falou a respeito deste crime, e qual a recorrência deste acontecimento em nossa região.

“Infelizmente nós temos um número elevado de registros desse crime, que se trata do estelionato pelo meio virtual. A clonagem de celular é famosa. As vezes a vítima quer realizar uma transação comercial em algum site da internet, e acaba clicando em um link mal intencionado que baixa sem a pessoa saber, um programa que coleta diversos dados do aparelho da pessoa, e em algumas vezes não coleta apenas os dados, mas consegue clonar o aparelho da vítima. Uma vez que o aparelho da pessoa está clonado, o criminoso solicita dinheiro para os contatos da vítima. O que nós percebemos também, é que muitas vezes o estelionatário faz um levantamento das redes sociais das vítimas, para ver quem são essas pessoas, e saber exatamente quem são os seus conhecidos e familiares, para que então possam aplicar o golpe”.



O delegado de Polícia também advertiu sobre os cuidados que devem ser tomados pelos cidadãos para evitar ser vítima deste tipo de crime.

“Evite fazer transações online de natureza duvidosa. Sempre certifique-se que você está realmente falando com um conhecido e, de preferência não faça transferências de dinheiro antes de conversar com o seu contato pessoalmente. Essa é a regra mais básica de segurança”.

Adriano orienta quais as providencias a serem tomadas caso você tenha sido vítima deste tipo de crime.

“Caso você tenha sido vítima deste crime, compareça a Delegacia de Polícia Civil para que seja realizado um boletim de ocorrência. Temos um procedimento padrão que consiste em orientar as pessoas a comunicarem o whatsapp, para que possa ser retomado o controle da linha. Também é muito importante avisar imediatamente todos os seus contatos por todos os meios possíveis que você não está mais no controle da conta do número”.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

DPCAMI trabalha na garantia dos direitos e deveres da criança e adolescente
Estado de saúde do caminhoneiro caçadorense inspira cuidados
Polícia Militar de Caçador recupera veículo furtado
Caminhoneiro caçadorense sofre acidente no Rio Grande do Sul
Desaparecido em Lebon Régis há seis meses volta para casa
Dois acidentes entre Calmon e Matos Costa nesta manhã
Caminhoneiro de Fraiburgo morre em acidente
Homem é preso por tráfico de drogas, porte ilegal de munição e ameaça
Deputado Coronel Mocellin sofre acidente com capotamento no Oeste