Brasileira conta como é estar sob fogo cruzado em Israel

Letícia Albuquerque, ex-moradora de Caçador, filmou um dos ataques (vídeo na matéria); Esta quinta-feira foi considerada o dia mais sangrento; ao todo, são 116 mortos



Por Andrielli Zambonin


A tensão dos últimos dias em Israel não poupou os brasileiros moradores do país, dos que vivem bem ao lado da Faixa de Gaza até os que moram na metrópole Tel Aviv, a cerca de 70 quilômetros da fronteira. Letícia Albuquerque mora a 30 quilômetros da Faixa de Gaza, em Bersheva. A jovem brasileira de 24 anos, natural de São José do Rio Preto (SP) e ex moradora de Caçador (SC), conversou com a reportagem do Extra SC e destacou a tensão dos últimos dias.

“É um momento bem complicado em Israel. Ficamos com medo porque todas as cidades estão em alertas que podem ser atacadas em qualquer momento pode tocar a sirene e temos que correr pro banker (um lugar seguro do prédio), temos que orar bastante pela paz de Israel”, disse a jovem.

"Na foto, Letícia com o uniforme do atual time de futebol em que joga, em Israel)

Letícia morou em Caçador em 2019, quando era atleta do Avaí Kindermann. Ela rompeu contrato com o time Caçadorense para jogar futebol em Israel, mas não imaginava o terror dos ataques. 

“Hoje cancelaram os jogos de futebol e os treinos também. Esperamos que acabe logo isso em Israel. Tem muitos atentados que estão acontecendo. Não é só bombas e mísseis lançados, os árabes  estão em confronto com a polícia nas ruas e também contra os Judeus, atacando na rua, em via pública. Não importa se estão dentro dos carros, eles também atacam. Então não podemos sair para rua nesse momento porque está perigoso pra todos”, conta.

Veja imagens de um dos ataques gravadas por Letícia:


Desde a última sexta-feira (7) confrontos entre palestinos e israelenses, que começaram em Jerusalém, levaram a um conflito maior entre Israel e o grupo islâmico Hamas, que controla Gaza. Os dois lados têm lançado ataques aéreos mútuos. Como parte do conflito, Hamas disparou cerca de 200 foguetes e mísseis contra Israel na noite de terça-feira (11) e na madrugada de quarta (12), o que fez Israel intensificar a resposta.

O Exército israelense atacou nesta sexta-feira (noite de quinta, 13, no Brasil) a Faixa de Gaza na primeira ação terrestre desde que começou a troca de foguetes e mísseis entre o Exército de Israel e o grupo islâmico Hamas.

Desde o início desta nova fase do conflito, ao menos 116 pessoas morreram: 109 em Gaza, incluindo 29 crianças, segundo o Ministério da Saúde local, e 7 em Israel, de acordo com autoridades médicas israelenses; e mais de 500 ficaram feridas.

Ainda não está claro o tamanho da incursão e se ela foi limitada a destruir bases de disparo de foguetes ou matar líderes da facção que controla Gaza. Duas horas após o início da operação, o Exército de Israel disse que não invadiu a região, dando a entender que os disparos estão sendo feitos a partir do território israelense.
A última invasão a Gaza aconteceu em 2014 e resultou na morte de mais de 2.000 palestinos.

1 COMENTÁRIO(S)

  1. 17 crianças palestinas mortas com tiros na cabeça. A imprensa é parcial e mostra somente o lado de Israel.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Após pavimentadas, ruas Áustria e Panamá recebem sinalização
Bombeiros voluntários de Caçador resgatam Graxaim-do-mato em bueiro
Centro: Rua Campos Novos interditada nesta quarta e quinta para obras
Debates sobre Teatro e Cidadania no Sertão Catarinense
Curso de Administração da Uniarp promove: “Cestas Juninas Solidárias”
United Idiomas prepara você para um novo mundo
15 de Junho: Pastoral conscientiza sobre a Violência contra o Idoso
Ação entre amigos: Colabore para ajudar um homem na cirurgia contra o câncer
Avançam as tratativas para melhorar o fornecimento de energia para Caçador
Empresas da Incubadora Inova Contestado no Programa Galápagos