Assédio sexual: um crime silencioso que você deve denunciar

O artigo de opinião foi redigido por Nikoly Chernoski Tavares concorre a certificação em concurso de combate a violência e exploração sexual. O concurso é uma iniciativa realizada pela Secretaria de Educação de Videira



Um assunto que é um grande tabu da sociedade atual e que vem, timidamente, ganhando espaço na mídia devido a gravidade e importância do tema. A violência sexual. Casos como o da Deputada Isa Penna e do Deputado Arthur do Val intensificaram, ainda mais, o debate sobre o assunto. Ambos ocupam cargos públicos no Estado de São Paulo, sendo um homem e uma mulher, porém com desfechos diferentes nessa história.

Ela, mulher, teve seu corpo tocado por um colega de bancada e se sentiu assediada. O agressor, foi punido a permanecer seis meses afastado de seu cargo público, enquanto no caso de Arthur do Val, onde ele desqualifica mulheres refugiadas da guerra na Ucrânia com ofensas de cunho sexual, a punição proposta foi a cassação definitiva do cargo de deputado. São dois casos diferentes, porém com dois pesos e duas medidas. O agressor de Isa Penna, embora tenha tocado o seio dela durante uma sessão e perante câmeras teve uma punição mais leve, mesmo sendo um assédio físico.

A violência sexual, ocorre quando alguém, seja adulto ou criança é vítima de abuso sexual, seja ele físico ou psicológico. Sabemos da existência de leis que protegem as vítimas, porém existem muitas que não denunciam a violência, seja por medo do julgamento social ou vergonha, até mesmo por medo de sofrer uma outra forma de violência. Devido a esses fatores, somente uma parcela dos casos chega ao conhecimento dos órgãos responsáveis pela investigação de crimes sexuais.

Em nossa sociedade existem várias maneiras de violência sexual:
  • O estupro marital é quando o marido obriga a esposa a fazer atos sexuais sem que ela queira, usando violência física para conseguir.

  • Já para o abuso sexual, não precisa ter contato corporal, mas o constrangimento ou tentativa de toques indesejados o caracterizam. A violência psicológica acontece quando o abuso causa dano emocional à vítima.

  • O aliciamento e exploração sexual tem como objetivo o lucro através da comercialização do ato sexual, ou seja, o aliciador lucra com essa atividade.

  • Por fim, o estupro de vulnerável é considerado quando a vítima é menor de 14 anos e, mesmo que seja uma relação consensual, a lei caracteriza o ato como crime.

Maneiras de evitar o abuso sexual:
  • Dê atenção para os filhos e monitore suas atividades, sempre estando ciente de onde e com quem eles estão. 
  • Monitorar as atividades realizadas na internet o que evita crimes como abuso sexual e pedofilia.
  • Evite aceitar caronas, alimentos e favores de pessoas desconhecidas.
  • Orientar crianças a adolescentes a não enviar fotografias ou mensagens, principalmente para estranhos, evitando também, o compartilhamento de dados pessoais.

Em caso de suspeita, denuncie!
Se você for vítima de abuso sexual, converse com alguém de confiança, ou seu responsável legal. Denunciem por meio dos telefones 100, 190 ou entre em contato com o Conselho Tutelar mais próximo.

A Deputada citada ao início deste artigo tem a vantagem de ser bastante conhecida e seu caso foi amplamente divulgado por meio das redes sociais, além de que, ela tem representatividade social e lugar de fala perante a sociedade. Se mesmo assim, ela foi vítima de violência sexual por meio do assédio físico de um colega de trabalho, milhares de outras mulheres e crianças sofrem caladas. Até quando?

Sobre a autora e artigo: 
Nikoly é aluna do 8º ano do Ensino Fundamental da Escola Paulo Penso em Videira/SC. O artigo foi produzido por ela e supervisionado pelo professor e jornalista Vanderlei Pires (MTB0006707/SC), com o apoio do professor Marcos Antônio da Silva Cândido.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Projeto PAEC orienta jovens sobre a emissão de documentos básicos
Núcleo de Práticas Jurídicas da Uniarp é evidenciado na Câmara
Professores do SESI são destaque com o projeto Aquecendo Corações
Escola Morada do Sol desenvolve o projeto “Liberte um Poema”
Escolas debatem o Atendimento Educacional Especializado
Assédio sexual: um crime silencioso que você deve denunciar
Acadêmicos prestigiam palestra sobre o mercado financeiro
Escola Henrique Júlio Berger realiza Semana Literária
TCC do curso de Agronomia é publicado em importante revista científica
UNIARP realiza cerimônia de Premiação do SEDEPEX 2021