15 de Junho: Pastoral conscientiza sobre a Violência contra o Idoso

Data busca trazer um alerta. Em muitas partes do mundo, o abuso de idosos ocorre sem que haja reconhecimento ou resposta



Nesta terça-feira, 15 de junho, celebra-se o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, e a Pastoral da Pessoa Idosa da Paróquia São Francisco de Assis, em Caçador, busca neste dia transmitir o recado de paz para todos, mas que também os cidadãos devem ficar alertas sobre qualquer caso de maus tratos que venham a presenciar ou descobrir, prestando às informações as entidades competentes.

A data foi oficialmente reconhecida pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 2011, após solicitação da Rede Internacional de Prevenção ao Abuso de Idosos (INPEA), que estabeleceu a celebração em junho de 2006.

A violência contra o idoso pode ser definida como “um ato único, repetido ou a falta de ação apropriada, ocorrendo em qualquer relacionamento em que exista uma expectativa de confiança que cause dano ou sofrimento a uma pessoa idosa”. É uma questão social global que afeta a saúde e os direitos humanos de milhões de idosos em todo o mundo e que merece a atenção da comunidade internacional.

Em muitas partes do mundo, o abuso de idosos ocorre sem que haja reconhecimento ou resposta, pois, até recentemente, esse grave problema social estava oculto à vista do público e era considerado um assunto privado. Ainda hoje, o abuso de idosos continua sendo um tabu, subestimado e ignorado pelas sociedades mundialmente. No entanto, há evidências que indicam que o abuso de idosos é um importante problema de saúde pública e social.

A coordenadora da Pastoral da Pessoa Idosa da Paróquia São Francisco de Assis, Cleide Morona, comenta que o 15 de junho é o momento para que existam importantes reflexões sobre os abusos e violência ainda cometidos contra idosos, e que esta reflexão também pode ser externada através de palavras de carinho, afeto e indicando aos mais jovens, de que os idosos são os responsáveis pela construção do mundo em que vivemos, e devemos todo o respeito a cada um deles.  

Tipos de violência contra as pessoas idosas

A mais comum é a negligência, quando os responsáveis pelo idoso deixam de oferecer cuidados básicos, como higiene, saúde, medicamentos, proteção contra frio ou calor.

O abandono vem em seguida e é considerado uma forma extrema de negligência. Acontece quando há ausência ou omissão dos familiares ou responsáveis, governamentais ou institucionais, de prestarem socorro a um idoso que precisa de proteção.

Há, ainda, a violência física, quando é usada a força para obrigar os idosos a fazerem o que não desejam, ferindo, provocando dor, incapacidade ou até a morte. E a sexual, quando a pessoa idosa é incluída em ato ou jogo sexual homo ou heterorrelacional, com objetivo de obter excitação, relação sexual ou práticas eróticas por meio de aliciamento, violência física ou ameaças.

A psicológica ou emocional é a mais sutil das violências. Inclui comportamentos que prejudicam a autoestima ou o bem-estar do idoso, entre eles, xingamentos, sustos, constrangimento, destruição de propriedade ou impedimento de que vejam amigos e familiares.

Por último, há a violência financeira ou material, que é a exploração imprópria ou ilegal dos idosos ou o uso não consentido de seus recursos financeiros e patrimoniais.

No Brasil, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH),  lançou a Campanha Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Pessoa Idosa, com o objetivo de abordar medidas para prevenir e identificar situações de violência, negligência e abuso contra os idosos. Experiências e boas práticas serão compartilhadas, com contribuições para uma proposta de protocolo de atenção.

Idosos com aspecto descuidado, que apresentem marcas no corpo mal explicadas ou sinais de quedas frequentes e que tenham familiares ou cuidadores indiferentes a eles, podem estar sendo vítimas de violência.

Onde procurar orientação ou denunciar

– unidades municipais de saúde;
– delegacias;
– disque 100 (Direitos Humanos);
– 190: Policia Militar (para situações de risco eminente)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Assistência Social recebe doação de 156 cestas básicas
OAB/SC entrega medalha Florisvaldo Diniz e homenageia jubilados em Caçador
Novo terminal rodoviário deverá entrar em funcionamento em 16 de agosto
Caçador amanhece com - 6°C
Equipe de trabalho finaliza análise para alterações na Lei do Serviço de Inspeção Municipal
Caçador: Pedido de isenção de IPTU 2021 encerra neste sábado
Débitos com o município podem ser parcelados em até 84 vezes
Gelo na pista causa acidente e mata policial militar em Santa Catarina
Amanhecer gelado e neve em várias cidades de SC
Maria Fumaça passa por inspeção para recuperação histórica