O dicionário orienta que o substantivo disciplina significa ‘obediência às regras, autoridades e regulamentos; essa conduta assegura o bem-estar e o bom funcionamento’, define. Considero oportuno citar aqui o pensamento do autor da epístola bíblica aos Hebreus: “Suportem as dificuldades, recebendo-as como disciplina; Deus os trata como filhos. Pois, qual o filho que não é disciplinado por seu pai? Se vocês não são disciplinados, e a disciplina é para todos os filhos, então vocês não são filhos legítimos, mas sim ilegítimos” (Hebreus 12.7,8).
O teólogo americano Albert C. Barnes comenta assim o texto citado: “Se você nunca se encontra com o que é adaptado para corrigir suas falhas, subjugar seu temperamento, e repreender suas andanças, isso provaria que você está na condição de filhos ilegítimos – expulsos e desconsiderados pelo pai. Todos os que são verdadeiros filhos de Deus, não são negligenciados por Ele”. Na realidade, creio eu, ninguém deseja ser considerado bastardo, principalmente em se tratando de filho de Deus.
Além do texto da carta aos Hebreus, a Bíblia tem muitas referências sobre disciplina, principalmente no livro de Provérbios: “O filho sábio acolhe a instrução do pai, mas o zombador não ouve a repreensão. Do fruto de sua boca o homem desfruta coisas boas, mas o que os infiéis desejam é violência. Quem guarda a sua boca guarda a sua vida, mas quem fala demais acaba se arruinando” (Pv 13.1-3). “Dedique à disciplina o seu coração, e os seus ouvidos às palavras que dão conhecimento. Não evite disciplinar...” (Pv 23.12,13).
Um dos textos de Salomão mais citados por educadores é: “Instrua a criança segundo os objetivos que você tem para ela, e mesmo com o passar dos anos não se desviará deles” (Provérbios 22.6). O texto orienta sobre o caráter, intimamente ligado à maneira como fomos educados na infância e juventude. Certamente a disciplina recebida no início da vida permanecerá para sempre.
Em 1961, como líder de mocidade no norte do Paraná, organizei um congresso com o tema ‘Olhando para Jesus’. O texto bíblico usado continua sendo referência para a minha vida; eram dois primeiros versículos do capítulo que começa este artigo. Permitam-me encerrar com eles: “Portanto, também nós, que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, com os olhos fixos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus” (Hb 12.1-2). Assim, na disciplina do Senhor, sejamos sempre abençoados!
Elias Colpini – pastorelias@conection.com.br

DEIXE SEU COMENTÁRIO