Alguns vereadores voltaram a falar de tema já tratado na semana passada sobre a qualidade da merenda escolar fornecida por empresa terceirizada para as escolas municipais de Caçador. O vereador Johny Marcos (MDB) na sessão de segunda-feira apresentou fotos demonstrando a má qualidade de alguns alimentos. Disse que essas informações e fotos que recebeu irão para o Ministério Público.
Vereador Márcio JF (MDB) elogiou o trabalho que vem sendo feito pela secretária de Educação, Lenira Carneiro, e disse que a melhor saída para a Administração Municipal é pedir imediata adequação da empresa a um cardápio decente ou que se rescinda o contrato, buscando uma nova licitação.
Vereador Fabiano Dobner (PL), disse que já presenciou a escolha de alimentos para a merenda escolar em meio a produtos já sem condições. E também classificou a bolacha destinada para as crianças de baixa qualidade.
Vereador Jean Carlo (PSD), líder do Governo na Câmara disse que já existem tratativas para abertura de uma nova licitação, pois o descontentamento com o alimento fornecido atualmente já gerou notificações para a atual empresa.
A preocupação da Secretaria Municipal de Educação é o período entre a ruptura de um contrato e o processo de nova licitação, que poderá deixar as instituições de ensino sem um fornecimento adequado de merenda escolar para as crianças por um período. Soluções estão sendo debatidas.

A Vigilância Sanitária
Vereador Johny foi mais além. Perguntou por que a Vigilância Sanitária não dá o mesmo tratamento para a empresa que fornece a merenda escolar, a exemplo do ocorrido com o produtor rural que foi preso na feira.
Vereadora Lidiane Catanni (PP) ressaltou que não são poucas as pessoas que reclamaram para ela sobre a forma de abordagem da Vigilância Sanitária de Caçador, classificando como abordagens arrogantes e prepotentes.

Internet no interior
Novamente esta semana os vereadores voltaram a se manifestar sobre o investimento a ser feito por parte do Executivo Municipal para promover a instalação de internet para as comunidades do interior caçadorense. O pedido já foi feito pelo vereador Moacir D’Agostini em outra gestão legislativa e até o momento nada foi feito.
Na atual legislatura D’Agostini também (DEM) já o fez, e agora o vereador Alcedir Ferlin (Lilo) – MDB, sugeriu que a própria Câmara economize em seus cofres e faça a devolução para a Prefeitura de Caçador, do valor total do projeto para que a internet chegue até o campo com qualidade. E é isso que irá acontecer para agilizar o processo. Parabéns aos vereadores.
Foto: Ascom/Câmara

Nem todos observam
Para muitos a vida no campo é somente cuidar de hortaliças, tirar de leite, realizar o plantio de algo e depois vender. Não é assim. É preciso estar legalizado, é preciso tirar nota fiscal eletrônica do produtor rural para estar regulamento e apto ao mercado (via internet). Assim como os jovens produtores rurais e estão em fase de estudo e aperfeiçoamento profissional, precisam de internet para estudar. Precisam estar informados sobre o que acontece em Caçador, na região, no Brasil e no mundo, como qualquer outro cidadão que reside no perímetro urbano. O campo também se profissionalizou, precisa de informações, precisa de suporte. E o que chamamos de êxodo rural, é culpa da falta de incentivos como este da internet.


Pedido atendido
Vereador Clayton Zanella (DEM) e vereador Leandro Sawchuk (DEM), comemoraram o pedido atendido pela Prefeitura de Caçador, disponibilizando atendimento psicológico e assistência social para o distrito de Taquara Verde semanalmente. Agora o distrito conta com atendimento de psicólogo nas quintas-feiras e assistente social nas sextas-feiras.
Foto: Ascom/Câmara

DEIXE SEU COMENTÁRIO