A chupeta é um poderoso item para tranquilizar os bebês. O uso contínuo da chupeta após os três anos de idade pode provocar alterações estruturais no desenvolvimento da arcada dentária. E ainda, o hábito de sucção dela pode prejudicar o alinhamento dos dentes da frente, que resultam em outros problemas, como estéticos, fonéticos e até na mastigação.

A PARTIR DE QUAL IDADE A CHUPETA NÃO É MAIS INDICADA?
De acordo com a Associação Brasileira de Odontopediatria, é recomendado que o uso da chupeta seja eliminado até os 3 anos, e o ideal é já parar por volta dos 2 anos. Conhecida como sucção não nutritiva, o hábito de chupar a chupeta gera a sensação de conforto que a criança tem quando está no colo da mãe. Por esse motivo, a chupeta acaba se tornando um relaxante para o pequeno. Dessa maneira, o uso dela nessa época é aceitável.
VEJA COMO O DENTISTA PODE AJUDAR NESSE MOMENTO
Para alguns pequenos, é preciso uma ajuda extra para conseguir largar a chupeta. O dentista pode ajudar nesse processo orientando os pais em como estimular a criança a entender que ela já é grande e não precisa mais da chupeta. Uma dica é reconhecer a ação do pequeno em abandonar o item, recompensando-o com um bichinho de pelúcia, por exemplo. É importante que o presente tenha a função de trazer o conforto, assim como a chupeta.
Uma outra orientação é recomendar aparelhos que impeçam a criança de levar tanto o dedo como a chupeta à boca. Os chamados “aparelhos impedidores de hábitos”, como, por exemplo, a grade lingual, não deixam que a criança coloque a chupeta na boca, e isso acaba funcionando como um processo de desestimulação do seu uso.

OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS TAMBÉM PODEM AJUDAR?
Primeiramente, os pais tentam diversos métodos “caseiros” para ajudar o filho a deixar a chupeta de lado. Porém, quando estes chegam ao fim, pode ser o momento de procurar um profissional. Um psicólogo consegue realizar o diagnóstico e encontrar o motivo pelo qual a criança não consegue largar a chupeta. Assim, o pequeno começa a compreender que pode parar de fazer uso ou de depender, daquele objeto.

CHUPETA TRADICIONAL X CHUPETA ORTODÔNTICA: EXISTE UM MODELO IDEAL?
De maneira geral, tanto a tradicional quanto a chupeta ortodôntica não é indicada para nenhuma criança e em nenhuma situação, pois ambas trazem prejuízo ao desenvolvimento bucal. O modelo tradicional causa mais danos, mas isso não significa que a chupeta ortodôntica não faça nenhum mal. Ao fazer a sucção do acessório muitas vezes ao dia, durante vários dias e com intensidade muito forte, a chance de ter maloclusão aumenta, pois a maxila da criança acaba crescendo no formato que o objeto deixa. Isso explica, muita das vezes, a necessidade de um tratamento ortodôntico durante longos anos. Fique atento e não deixe seu pequeno passar por isso.

5 CONSEQUÊNCIAS QUE O USO DA CHUPETA PODE TRAZER
1) Mordida aberta: a criança quando oclui as arcadas, na parte posterior os dentes se encontram e na parte anterior fica um espaço entre eles, entre os superiores e os inferiores. Em alguns casos, só a remoção da chupeta já melhora essa condição, mas em muitos casos é necessária a correção com o aparelho;
2) Mordida cruzada: a arcada inferior fica mais “aberta” com relação à superior;
3) Musculatura dos lábios e língua flácidos, o que pode dificultar na sucção ao seio, na mastigação e na fala;
4) Interfere na respiração;
5) Há crianças que deixam de aceitar o seio, já que o “bico” é diferente.

DEIXE SEU COMENTÁRIO