Vigilante que matou jovem pode ter agido em legítima defesa

Ronaldo Rodrigues, de 24 anos, foi morto esfaqueado na conveniência do Posto Dudo

A Polícia Civil aponta, segundo o delegado plantonista Gil Rafael Ribas e com base nos indícios do crime, que o vigilante do Posto Dudo que esfaqueou e matou um jovem de 24 anos na madrugada de domingo, 17, pode ter agido em legítima defesa. Porém, ele continua cautelarmente preso. 

Segundo informações da polícia, vários jovens foram até o Posto Dudo, embriagados, e houve um desentendimento entre dois grupos. Dois seguranças intervieram para cessar o tumulto, mas passaram a ser agredidos pelos jovens.

“Eles estavam em maior número e começaram a agredir com garrafadas e socos. Um dos seguranças estava portando uma faca, usou-a para se defender e desferiu um golpe em um dos agressores e, de forma superficial, em outro envolvido. O primeiro recebeu um golpe na região da axila, foi profundo e causou uma hemorragia severa, que levou o rapaz à óbito”, relata o delegado.

A morte de Ronaldo Simão Rodrigues Prestes, de 24 anos, conhecido como Bugrão, foi confirmada pelos Bombeiros Voluntários. O jovem morreu dentro da loja de conveniência do posto. Já o outro rapaz esfaqueado foi socorrido e passa bem.

Após o fato, segundo os vídeos divulgados, o grupo de jovens continuou exaltado e tentou entrar na loja de conveniências. Os seguranças precisaram fechar as portas, cuja fachada foi depredada. Logo em seguida, a Polícia Militar chegou ao local, preservou a cena do crime e acionou a Polícia Civil.

“Ouvindo os populares, foi identificado que o autor dessa agressão seria um dos seguranças. Ele foi conduzido em flagrante para a delegacia, ouvimos testemunhas, realizei o interrogatório desse rapaz preso, e aparentemente ele cometeu o crime em legítima defesa. Fiz a prisão cautelar dele e representei ao Poder Judiciário pela concessão de liberdade provisória uma vez que os indícios apontam para um crime ocorrido em legítima defesa”, acrescenta Ribas. Até a noite de domingo, 17, porém, o autor ainda continuava preso.

A Polícia Civil informou que irá aprofundar as investigações, realizar análise mais detalhada das imagens de câmeras, identificar se houve outros envolvidos e ouvir mais testemunhas. A autoridade policial também aguarda laudos do IGP para encerrar o inquérito.

O caso

O jovem de 24 anos, Ronaldo Rodrigues, foi morto com um golpe de faca na madrugada deste domingo (17), em um posto 24h na Avenida Engenheiro Lourenço Faoro, em Caçador. O autor do homicídio seria um vigilante, o qual foi preso em flagrante, cerca de uma hora depois, pela Polícia Militar.

Foi prestado os primeiros socorros, porém, a vítima não apresentava pulso, mesmo assim foi acionado o corpo de Bombeiros Voluntários de Caçador os quais chegaram rapidamente no local e com equipamentos adequados, também não conseguiram detectar batimentos sendo evidente o óbito no local.

A realizar o levantamento da cena do crime, foi constatado que de fato a vítima foi esfaqueada sofrendo um grande corte na região da axila e abdômen o que provavelmente causou a morte.

Durante o atendimento da ocorrência a guarnição foi informada de que uma segunda vítima da briga, a qual havia dado entrada no hospital Maicé, relatou que um dos vigilantes do posto Dudo havia cometido o homicídio contra Ronaldo Rodrigues e tentado cometer um segundo homicídio contra a própria vida.


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Duas pessoas morrem em colisão entre motos em Caçador
Carreta cai dentro do Rio Castelhano em Caçador e motorista morre
São presos em Caçador suspeitos de roubo, tortura e tráfico
Homicídio no Posto Dudo tem reviravolta e prisão de vigilante é mantida
TJ confirma condenação de pai que espancou filhos com cinta e socos no Meio-Oeste
Vigilante que matou jovem pode ter agido em legítima defesa
Região de Caçador terá delegacia especializada no combate à corrupção
Jovem que perdeu a vida eletrocutado é sepultado em Chapecó
Motorista morre em grave acidente em Santa Cecília