Mutirão de conciliação de pensão alimentícia acontece de 12 a 22 de março em Caçador

Os envolvidos no processo devem procurar a Vara da Família, Infância, Juventude da Comarca de Caçador, e atualizar a situação antes do início do mutirão

A Vara da Família, Infância, Juventude da Comarca de Caçador, está promovendo um Mutirão de Conciliação de dívida alimentar. O mutirão acontece de 12 a 22 de março, na sede da Vara da Família (Rua Curitibanos, número 138, no Centro), que funciona das 12h às 19h. Para atualizar os registros, documentos e outros detalhes, a Vara da Família pede que os envolvidos no processo, seja o devedor ou o responsável pela criança, procurem a Vara antes da data do mutirão.
Em Caçador, existem mais de cinco mil processos, sendo que 25% são ações de execução de alimentos, e muitas destas ações não há efetividade na cobrança. “No ano passado fizemos um levantamento e constatamos esse alto número de processos por dívida alimentar e a maioria deles sem resolver. Então surgiu a ideia deste mutirão, que visa deixar em dia os processos”, destaca a Juíza responsável pela Vara da Família, Infância, Juventude da Comarca de Caçador, Lívia Rocha Cobalchini.
A Juíza ainda destaca a importância das pessoas procurarem a Vara da Família antes da data do Mutirão. “É importante que todos os envolvidos no processo procurem a Vara da Família, pois muitos já estão com registros desatualizados aqui. Então o advogado perdeu contato, nós não conseguimos encontrar e isso gera uma dificuldade na hora de resolver o processo”, destaca.


O Mutirão é também uma  oportunidade de melhorar o vínculo familiar. “Nós sabemos que os mais afetados com a dívida da pensão alimentícia é a criança ou o adolescente. Muitas vezes o responsável usa a criança para obrigar o pagamento desta dívida, afastando a criança do devedor ou de outras formas. O Mutirão então também é uma oportunidade para que sejam negociadas essas dívidas. Poderão ser ofertados bens materiais, ou parcelamento e de alguma forma será resolvido. O devedor tem que ter consciência de que este dinheiro é para a existência daquela criança que depende do pai e da mãe para sobreviver”, afirma Lívia.
O Mutirão tem parceria com a Caixa Econômica federal, para que sejam utilizados o fundo de garantia para a quitação da dívida, e com o INSS, para um acordo com a empresa em que o devedor trabalha.
A juíza alerta ainda a importância do devedor pagar a dívida. “De alguma forma está dívida precisa ser paga. Em casos de pensão mais recentes, o devedor pode até ser preso e só será solto com o pagamento, não existe possibilidade de justificar. Em outros casos é comunicado o Serasa, em outros casos é penhorado parte do salario. Então para não ter uma surpresa, o devedor deve procurar a Vara da Família”, finaliza.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Programação de aniversário de Rio das Antas inicia neste sábado
Precisamos, sim, retirar o peso da ineficiência das contas de quem trabalha, investe e produz, diz Mourão, na FIESC
Candidatos ao conselho tutelar de Lebon Régis se apresentam para o público
Nova ambulância é entregue para o Samu de Caçador
Colaboradores da Adami realizam doações de mantas a instituições de Caçador e região
Governo de SC anuncia que vai pagar o 13º salário em três parcelas
UNIARP concede descontos em cursos presenciais de graduação
Prefeitura de Macieira investe em iluminação pública
Prefeitura de Caçador inicia transmissões, ao vivo, de licitações
Proprietários da casa que incendiou comentam sobre o caso