Fiesc apoiará indústrias de Caçador no monitoramento do coronavírus

A solução congrega um conjunto de serviços e cada indústria deve adequar o Protocolo dentro da sua realidade

A indústria ganha um novo aliado no monitoramento do coronavírus com o lançamento do Protocolo Corona, uma solução oferecida pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc). O objetivo é ajudar a indústria a traçar um plano de ação para reduzir a propagação da doença, com medidas como a adoção de equipamentos e sistemas adequados de proteção dos indivíduos, dos ambientes e da coletividade em geral, além da realização de testes e o monitoramento da saúde por meio de um software.

Na Regional Centro Norte, a Fiesc, por meio do Sesi, já está atendendo seis empresas com o Protocolo Corona completo incluindo assessorias, o aplicativo Coronadados e a realização de Testes para Covid-19.

A solução congrega um conjunto de serviços que visam reforçar o papel das indústrias no enfrentamento do coronavírus. Cada indústria deve adequar o Protocolo dentro da sua realidade. É preciso garantir a distância de segurança, como por exemplo, nas trocas de turno e no uso dos vestiários. 
A indústria pode definir um fluxo de entrada e saída, utilizar barreira física e incorporar outros recursos, como a face shield (máscaras de proteção facial), além da máscara que é de uso obrigatório em todo o estado. Além disso, é preciso formalizar os protocolos, as capacitações e todas as ações que a empresa fizer no enfrentamento a essa pandemia, reduzindo a transmissão do vírus e evitando a sobrecarga no sistema de saúde.


Autocuidado das pessoas é fundamental na prevenção

A médica do trabalho do Sesi, Patrícia Figueiredo, lembra que esta é uma doença viral e que o autocuidado das pessoas é fundamental na prevenção da transmissão do vírus. “Vejo como principais pontos críticos dois aspectos: a identificação dos sintomas e quais ações a empresa deve tomar caso seu trabalhador seja um caso suspeito ou confirmado de COVID 19”, destacou. “Os contaminados devem ser isolados, assim como as pessoas com quem ele teve contato. A testagem desse público também deve ser priorizada e a vigilância epidemiológica municipal deve ser notificada. A empresa deve continuar a monitorar os afastados por meio da telemedicina e do telemonitoramento. Ao superar a fase de transmissão da doença, ele pode ser integrado novamente”, explicou.

Coronadados
O Protocolo Corona conta ainda a aplicação web, chamada de Coronadados, que permite às empresas monitorarem a evolução do vírus entre seus colaboradores, desde os primeiros sintomas, e tomar as decisões certas para conter a disseminação.

A estrutura sistêmica do Protocolo Corona define um conjunto de ações que as indústrias de cada setor podem realizar, como tratar as pessoas infectadas e manter a produtividade e a qualidade. Também inclui a adoção de equipamentos e sistemas adequados de proteção dos indivíduos, dos ambientes e da coletividade em geral, e a realização de testes em massa, devidamente planejados conforme a necessidade e situação. O SESI orientará as indústrias sobre o melhor tipo de teste para o público e ajudará o setor produtivo a aplicar o melhor protocolo de saúde nos casos identificados.

O protocolo conta ainda com a adoção de ferramentas, sistemas e soluções de Tecnologia da Informação e Comunicação para promover o monitoramento, rastreamento, análise e ação para isolar os infectados, preservar os não-infectados e manter o controle da pandemia.

SERVIÇO: Caso sua empresa tenha interesse em contratar o Protocolo Corona, entre em contato através do e-mail: lucas.lazzari@sc.senai.br  ou telefone: (49) 98844-1469 ou ainda em uma das unidades do Sesi da nossa região.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Rússia anuncia primeira vacina contra a covid-19
Coronavírus: Caçador tem estabilização no número de confirmados, durante o fim de semana
UTI com 80% de ocupação em Caçador
Vigilância Sanitária flagra descarte irregular de resíduos de saúde
Leitos de UTI para Covid-19 seguem com 90% de ocupação
Caçadorense morre de Covid-19 em Joinville
Mais um caçadorense morre vítima da Covid-19