Entrevista: “Vamos reeditar a coligação de 2016”, diz Saulo Sperotto

Prefeito de Caçador concede entrevista para falar da administração municipal e outros temas relevantes no atual cenário estadual e brasileiro

Em entrevista ao Jornal Extra, o prefeito de Caçador Saulo Sperotto, fala de eleições municipais em 2020, governos Bolsonaro e Carlos Moisés, pandemia, e os projetos que pôde por em prática neste seu retorno à Administração Municipal. Em seu terceiro mandato frente ao Executivo, ele afirma que a coligação eleita em 2016 está sólida e trabalhou bem pelo município, o que leva a uma reedição para 2020, compondo com demais partidos que desejarem estar juntos.

1 – Neste retorno à Administração Municipal de Caçador e prestes a concluir mais 4 anos de governo, o senhor conseguiu colocar em prática os projetos anteriormente previstos e vislumbrar novas ações?

SAULO – Quando saímos da Prefeitura, em 2011, muitos eram os projetos em andamento, como a ampliação do Parque Central, construções de creches e o grande projeto habitacional, que retiraria 125 famílias das margens do Rio do Peixe. Infelizmente, muitos destes projetos não foram concluídos por outras administrações e viemos a entregar em 2017, no nosso primeiro ano do novo mandato. Cito, por exemplo, as creches do Alto Bonito e do Nossa Senhora Salete, além das 125 casas e da UPA. São projetos que tiveram início ainda em nosso mandato anterior e que, 7 anos depois, fizemos a entrega para a comunidade poder utilizar.



Durante este período em que estivemos fora da Prefeitura, novos projetos e ideias surgiram. Entre eles, estão o Revitalizar, que já tem parte sendo executada, como as melhorias nas duas beira-rio (Chaminé e da Feira), na própria Feira do Produtor, na Estação Ferroviária, no trem, ao lado do Museu, na pista de Skate (Praça da Concórdia), a rua José Boiteux, e outras ainda que iniciarão, como o Mercado Público (na rodoviária), a passarela ligando o Parque Central até a Feira do Produtor e a Ciclovia, que terá continuidade, desde a ponte da rodoviária, ligando com a Ponte do Trabalhador.

Além do Revitalizar, temos ainda o grande projeto do Parque Linear, que se iniciou com a retirada daquelas 125 famílias das margens do rio do Peixe, e que vai interligar, desde a ponte de ferro, no Gioppo, até a antiga Cibrazem, no Berger. Será o maior projeto de mobilidade urbana, revitalização ambiental e recuperação histórica de Caçador e transformarão a imagem de vários bairros da cidade.



Outros grandes projetos envolvem a Educação, onde conseguimos acabar com um déficit de mais de 800 vagas na Educação Infantil, com a criação de mais de mil vagas. Para isso, ampliamos escolas, com a construção de salas de aula e abertura de creches. A nossa primeira escola em tempo integral também se tornou realidade, com a implantação deste modelo no Castelhano.

Por outro lado, um dos nossos grandes projetos foi o de pavimentações pela cidade e, até agora, já conseguimos fazer mais de 66 quilômetros de asfalto, sendo que destes, 46 quilômetros eram de estradas de chão.

As melhorias nos bairros, com a construção de praças e espaços para a comunidade, também se tornaram realidade e faziam parte de nossos projetos, assim como, a construção de novas pontes no interior e, em breve, das obras de tubulações no DER e no Santelmo, para acabar com as inundações.


 
2 – Teremos eleições municipais em novembro. Caso seu nome esteja realmente inelegível por questões judiciais, qual o caminho a ser tomado?

SAULO - Nós vamos reeditar a coligação de 2016, não importando o nome que estará à frente, agregando, claro, outros partidos que queiram estar com a gente.



3 – O ano de 2020 tem sido diferente para todo o mundo em função da pandemia do novo coronavírus. Como ser um administrador público nesta hora? As obras e ações foram prejudicadas?

SAULO - Estamos vivendo um momento delicado. Esta pandemia afetou todo o mundo, derrubando a economia e fazendo o sistema de Saúde entrar em colapso. Da nossa parte, nos preparamos para que pudéssemos atender as pessoas da melhor forma, com grandes investimentos em Saúde, com ampliações de leitos no Hospital Maicé, com recursos próprios para a aquisição de novos equipamentos, além da preparação das nossas estruturas nos postos de saúde e laboratório, por exemplo.
Apesar de ser um momento delicado, conseguimos manter as nossas contas em dia, mesmo com a queda da arrecadação. Por outro lado, como temos recursos disponíveis, através do FINISA, intensificamos nossas obras. Com isso, terceirizamos empresas e geramos emprego e renda para muitas pessoas que foram afetadas pela paralisação empresarial.

Continuamos investindo em todos os setores, na infraestrutura urbana e rural, na Saúde, onde vamos construir dois novos postos, na Educação, com reformas e ampliações de escolas, na Assistência Social, com o apoio para os mais carentes. Tudo isso visa dar mais qualidade de vida para todos os caçadorenses.



4 – O Governo Federal tem sido parceiro das ações em Caçador? Podemos citar exemplos?

SAULO - O Governo Federal liberou recursos através de emendas parlamentares para Caçador, que já foram pagas e estão sendo utilizadas principalmente na Saúde. Além disso, durante esta pandemia, os recursos estão sendo viabilizados, naquele pacote de auxílio aos municípios.

Outro setor que estamos tendo grande apoio é na aviação, através da ANAC, SAC, Infraero, com as homologações e obras para o nosso aeroporto regional, que, em breve, terá voos regulares.

5 – Como o senhor avalia o governo do presidente Bolsonaro?

SAULO - Costumo dizer que não adianta torcermos para que um Governo vá mal, porque todos iremos mal também. Por isso, eu penso que o nosso presidente tem buscado acertar nas decisões. Claro, um governo não se faz somente com boas intenções, mas precisa de governabilidade para conseguir fazer as reformas e ações que o nosso País precisa. Todos nós dependemos do Governo Federal, principalmente porque mais de 60% dos nossos impostos ficam em Brasília. 

6 – O Governo do Estado tem sido parceiro das ações em Caçador? Podemos citar exemplos?

SAULO – O Governo do Estado tem liberado recursos, de acordo com a sua política de estrutura básica. Necessitamos muito deste apoio, principalmente com a criação da estrutura necessária para a área da Saúde, com investimentos nos hospitais.



7 – Como o senhor avalia o governo de Carlos Moisés?

SAULO - Da mesma forma como avaliamos o presidente Bolsonaro, acredito que é o que pensamos com relação ao governador Moisés. Não podemos torcer para que ele vá mal. Somos um importante Estado do Brasil, grande produtor e exportador. Temos que continuar crescendo e precisamos que o governador tenha boas e sábias decisões.

8 - Considerações finais

SAULO - Sempre afirmamos que estamos trabalhando para levar mais qualidade de vida para os cidadãos. Nossa preocupação é com as pessoas, o bem-estar delas, a Saúde, a Educação, emprego e renda.

Somos apaixonados pela nossa cidade e, a cada dia, levantamos com o objetivo de deixá-la ainda melhor, mais bonita, limpa, organizada e com uma boa estrutura.
Dizemos o mesmo para as pessoas: para melhorarmos de vida, devemos nos dedicar mais, levantar mais cedo se for preciso, trabalhar até mais tarde. Cuidarmos das nossas casas, das nossas famílias. Isso é o mais importante.

Caçador é uma importante cidade em SC e no Brasil, é a 6ª exportadora e a 15 economia. Temos um grande potencial, através das atividades empresariais de todos os ramos dedicados a fazer o melhor. Então, nós só temos a apoiar, buscar auxiliar para que este crescimento continue.

Que tenhamos, a cada dia, uma Caçador ainda melhor!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Vedada dispensa de servidores da Prefeitura em caso de calamidade
CPI dos Respiradores debate antecipação do relatório final nesta terça
Prefeitura de Caçador entrega ordens de serviço
Multa para quem não utilizar máscara em Caçador
Entrevista: “Vamos reeditar a coligação de 2016”, diz Saulo Sperotto
Macieira recebe R$ 100 mil para compra de veículo
Munaretto quer a comunidade junto da Administração Municipal
Pedido de impeachment do governador e da vice é lido em plenário