Casal comemora 50 anos de casados

Osvaldo e Emília Faé, comemoraram na Paróquia Santo Antônio, em Rio das Antas, 50 anos de casados

Há cinco décadas dividindo alegrias, conquistas e construindo com muito trabalho e suor uma história digna de ser comemorada. O casal Osvaldo Faé (72 anos) e Emília Faé (79 anos) comemoraram no sábado, 6, na Paróquia Santo Antônio, em Rio das Antas, 50 anos de casados.

A celebração das Bodas de Ouro reuniu familiares e amigos em uma cerimônia religiosa, onde a emoção brotava nos olhos do casal e de todos os presentes.

Emília e Osvaldo se casaram em 5 de julho de 1969, após 15 meses de namoro. Eles relatam que no dia do casamento era um dia frio e com neve. Após nove meses de casados, veio o primeiro filho do casal. Atualmente os dois moram no interior de Rio das Antas e tem 13 netos e sete filhos.

“Me lembro que quando casamos, o padre comentou que não era bom dizer as nossas idades, pelo fato de meu marido ser mais novo que eu. Mas não tem nada haver, pois para ser feliz não importa a idade”, afirma Emília.

Comemorar os 50 anos de casamento era um desejo antigo do casal, mas nos últimos quatro meses que decidiram realizar a festa, porém, a organização de tudo ficou nas mãos dos filhos. “Sentimos uma emoção muito forte no momento em que entramos na igreja e os principais da cerimônia éramos nós. Além de vermos todos os amigos, foi um momento emocionante olhar e ver todos os nossos filhos e netos presenciando”, destaca Emília.

Muitos se perguntam qual o segredo de chegar aos 50 anos de casado e Osvaldo Faé, afirma que é preciso principalmente ter a paciência um com outro.  “Diferenças entre um e o outro sempre vai existir, mas é preciso levar e enfrentar as dificuldades. Superar obstáculos, como financeiro, familiar, saúde, filhos, faz parte de todo casamento. É uma vida que construímos juntos, enfrentando as diferenças. É preciso paciência e superar muitas coisas, pois se nós formos se separar por qualquer coisa, não dar certo. Começamos em dois e continuamos em dois, nós somos a companhia um do outro. Pois os filhos crescem e constroem as próprias famílias”, enfatiza Osvaldo.

“Eu tenho a certeza que não suportaria uma separação, acho muito pesado. Depois de tantos anos, não vejo minha vida mais sem ele. Quanto mais os anos passam, mais o amor aumenta. E tenho certeza que sem ele eu não conseguiria viver. A gente se acostuma a dividir tudo a dois. Nós sempre trabalhamos em roça, já tivemos nossas dificuldades, tanto que no nosso segundo ano de casado, perdemos toda a nossa plantação. Porém, mesmo com as dificuldades era divertido. Pedimos para que Deus conserve a nossa família, que nossos filhos continuem os mesmo e esperamos que eles cheguem aos 50 anos de casados como nós”, destaca Emília.

“São 53 anos que nos conhecemos, então construímos tudo que temos hoje juntos. Às vezes brigamos, mas não adianta. Pois somos nós dois e não tem como ficar sem conversar, não conseguimos. Então na hora da briga se afastamos e depois passa. Tenho certeza que com 50 anos juntos, não brigamos nem a metade do que os casais de hoje em dia brigam. Sem ela eu não posso viver”, finaliza Osvaldo Faé. 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Entregues primeiras camisetas do projeto “Eu Faço”
“Tive uma experiência de vida que me fortaleceu como pessoa e como médico”
Danielle Regina Ullrich é eleita a nova diretora-geral do IFSC Caçador
Programa Registro de Imóveis Itinerante chega ao município de Rio das Antas
Mais uma rua é asfaltada pela Prefeitura, agora bairro no Martello
Mudança de nome da região do Contestado gera críticas
Enfeites Natalinos começam a ser montados em Macieira
Santa Catarina ultrapassa a Bahia e é a sexta maior economia do país
UNIARP simula evacuação de prédio em exercício preventivo de segurança
Novo ensino médio será implantado em duas escolas de Caçador em 2020