Campanha contra a gripe vacinou 52% dos catarinenses de grupos prioritários

Com a queda nas temperaturas, a preocupação aumenta, principalmente entre as pessoas que fazem parte dos grupos de risco como crianças, idosos, gestantes

O prazo final da Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe é 31 de maio. Até lá, Santa Catarina precisa alcançar uma cobertura vacinal de, ao menos, 90% dos grupos prioritários, segundo meta estabelecida pelo Ministério da Saúde. No entanto, de acordo com o balanço divulgado nesta terça-feira, 14, pela Diretoria de¬¬ Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina, vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Estado da Saúde Santa Catarina, apenas 52,48% das pessoas que fazem parte do público-alvo procuraram as unidades de saúde para tomar a vacina.

De acordo com a gerente de imunização da DIVE/SC, Lia Quaresma Coimbra, com a queda nas temperaturas, a preocupação aumenta, principalmente entre as pessoas que fazem parte dos grupos de risco como crianças, idosos, gestantes. Por isso, a importância da imunização. “O vírus da gripe circula o ano todo, mas a transmissão é maior do inverno, quando as pessoas buscam se abrigar do frio em ambientes fechados. A vacina é capaz de promover imunidade durante todo esse período de maior circulação dos vírus, reduzindo o agravamento”, explica a gerente.

Em Santa Catarina, fazem parte dos grupos prioritários pouco mais de 2 milhões de pessoas (2.000.034).

Cuidados e prevenção

Além da vacina, é recomendado adotar algumas medidas de prevenção para evitar a gripe: higienizar as mãos com água e sabão ou com álcool gel, principalmente depois de tossir ou espirrar; a higienização também é importante depois de usar o banheiro; antes das refeições; antes e depois de tocar os olhos, a boca e o nariz; evitar tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies potencialmente contaminadas (corrimão, bancos, maçanetas etc), além de manter hábitos de alimentação saudáveis, com ingestão de líquidos e realização de atividades físicas.

Pessoas com influenza devem evitar contato com outras pessoas. Em caso de suspeita, o paciente deve procurar atendimento médico o mais rápido possível. O tratamento precoce com Oseltamivir (Tamiflu) reduz tanto os sintomas quanto a ocorrência de complicações da influenza e está disponível em todas as unidades de saúde e hospitais de Santa Catarina.

Gripe em Santa Catarina

De acordo com o último boletim da DIVE/SC, do início do ano até 10 de maio de 2019 foram confirmados 32 casos de influenza em Santa Catarina, sendo 26 pelo vírus A (H1N1) e 6 pelo vírus A (H3N2). Os municípios que apresentaram ocorrências confirmadas foram: Blumenau com 6 casos; Florianópolis, com 4 casos; Chapecó, Itajaí e Joinville, com 3 casos cada; Jaraguá do Sul e Tubarão, com 2 casos cada; Braço do Norte, Brusque, Camboriú, Criciúma, Lages, Maravilha, Palhoça, Pomerode e São José, com 1 caso cada.

Dos 32 casos de influenza, 22 apresentaram algum fator de risco associado, dos quais 10 eram idosos (acima de 60 anos); 2 crianças menores de 2 anos; 1 obeso e 9 eram portadores de doenças crônicas.

Três pessoas morreram, todas pelo vírus A (H1N1). Um homem, de 52 anos, morador de Tubarão; uma mulher, de 79 anos, moradora de Blumenau; e uma mulher, de 48 anos, moradora de Jaraguá do Sul. Os três apresentaram algum fator de risco para o agravamento da doença.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Campanha contra a gripe vacinou 52% dos catarinenses de grupos prioritários
Vacinação da Gripe segue até 31 de maio
Postos de saúde abrem no sábado, 4 de abril, para Dia D da vacinação contra a Gripe
Maicé realiza o terceiro mutirão de cirurgias de catarata
Saiba como se prevenir da febre amarela
Dia V da Campanha contra a gripe será dia 27 de abril
Campanha contra gripe inicia com horário estendido em Caçador
Macaco é encontrado morto em Timbó Grande com suspeita de febre amarela
Dois novos focos do mosquito da Dengue foram localizados em Caçador
Santa Catarina reforça necessidade de vacinação para febre amarela após primeira morte confirmada