Acadêmicos realizam visita técnica na obra de restauração da Ponte Hercílio Luz

A visita foi organizada pelo professor Me. Miguel Ângelo Mello e envolveu acadêmicos da disciplina de Estradas II da 9ª fase do curso

A UNIARP, por meio do curso de Engenharia Civil, realizou dia 19 de outubro, visita técnica na obra de restauração da Ponte Hercílio Luz em Florianópolis-SC. A visita foi organizada pelo professor Me. Miguel Ângelo Mello e envolveu acadêmicos da disciplina de Estradas II da 9ª fase do curso. Também participou da visita o prof. Esp. Frank Dieter Schulze e acadêmicos da disciplina de Materiais da Construção Civil.
A obra visitada proporcionou aos acadêmicos mais conhecimentos não só dos estágios em que se encontra a obra de restauração, mas também explicação de toda a sua importância viária para a cidade de Florianópolis, tão logo seja liberada ao tráfego em julho de 2019, conforme informação do DEINFRA.
A ponte foi projetada e construída durante o governo de Hercílio Luz para ser a primeira ligação terrestre entre a ilha e o continente. O idealizador não viu seu sonho ser concluído, pois morreu em 1924, doze dias depois de inaugurar uma réplica de madeira, construída na Praça XV especialmente para o ato simbólico. O nome da obra seria Ponte da Independência, o qual foi mudado após a morte de seu idealizador, em póstuma homenagem.
O projeto é de autoria dos engenheiros norte-americanos Robinson e Steinman e todo o material nela empregado foi trazido dos Estados Unidos, tendo sido construída por equipe composta de dezenove técnicos especializados norte-americanos e operários catarinenses.
Perícia realizada em 1981 pelo IPT verificou que as barras de olhal estavam deterioradas, o que comprometia a segurança de seus transeuntes. A descoberta de uma trinca de 5cm de abertura no olhal de uma das barras localizadas na altura do topo do pilar do lado sul da ilha fez com que o departamento de Estradas de Rodagem do Estado levasse a recomendação do relatório do IPT a cabo, interditando a ponte ao tráfego pela primeira vez em 1982. Na época a ponte absorvia 43,8 % do tráfego de veículos. A segunda ponte, ponte Colombo Salles, aberta ao tráfego em março de 1975, passou a ser a única ligação da ilha ao continente.
Posteriormente, em 1988, a ponte foi reaberta ao tráfego para pedestres, bicicletas, motocicletas e veículos de tração animal. Em fevereiro de 1990 foi concluída a primeira etapa da análise de viabilidade da reabertura da ponte ao tráfego, o que levou à segunda interdição da mesma, em 1991.
 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Criança caçadorense é diagnosticada com síndrome da pele escaldada e precisa de ajuda
Outono começa nesta quarta-feira – Por Leandro Puchalski
Lebon Régis é o município da AMARP que mais gerou empregos formais em janeiro, aponta CAGED
Abertas inscrições para o processo seletivo de cargos temporários em Rio das Antas
Mais de 130 alunos das escolas municipal participam de cursos profissionalizantes gratuitamente no SENAI
Prefeitura consegue credenciamento para fazer próteses dentárias
Atendimento a mulheres vítimas de violência será tema de webconferência
Prefeitura conclui pavimentação de mais 4 ruas no Alto Bonito
Concluída pavimentação de mais uma rua do antigo sistema Caução
Oficinas Socioeducativas geram oportunidades para os jovens que querem ingressar no mercado de trabalho